25 . 06 . 2021

Seguro e crédito na plataforma do parceiro

Nova acelerada do Wiz Labs, startup W2.digital quer escalar distribuição desses produtos como serviço em apps e sites de empresas

Inovar é fazer do limão uma limonada, e cada vez melhor. É com essa mentalidade que Fabiano Ferreira, Felipe Seixas e Guilherme Pinheiro lançaram, no último dia 1º de março, a startup W2.digital, dedicada a expandir sua tecnologia de “insurance as a service” (seguro como serviço) em sites e aplicativos de empresas. A solução foi idealizada dentro da Wiz em 2019, mas, diante do cenário econômico desenhado pela pandemia e suas demandas, o projeto foi transformado em uma empresa acelerada pelo Wiz Labs. 

Segundo Fabiano, CEO da W2.digital, a escolha do modelo de startup foi ancorada em algumas vantagens competitivas, como captar investimentos no mercado e ganhar velocidade para crescer. Agora, a Wiz entra como acionista, por meio do Wiz Labs, braço de inovação focado em apoiar desenvolvedoras de tecnologia para o setor de seguros. “A visão de tempo de uma startup é: tudo tem de acontecer em até um ano. Como não existem as condições de uma grande empresa, como proteção e fluxo de caixa, tem de fazer acontecer no curtíssimo prazo”, argumenta. 

Como acelerador, o Wiz Labs aporta gestão, estratégia e investe tanto em startups quanto em empresas que tenham uma ferramenta consolidada para a cadeia de valor de seguros. À frente da área, Clarissa Schmidt, diretora de Soluções Digitais da Wiz BPO, explica que o negócio está baseado em uma relação de ganha-ganha. “A tecnologia delas nos impulsiona como provedora de soluções e, como estamos no mercado em diferentes frentes, elas podem ampliar seus portfólios de produtos e clientes.”

No caso da W2.digital, a busca por essa diversificação foi colocada em prática desde o início. Fabiano conta que, na unidade de negócio, ele, Felipe e Guilherme desenvolveram o W2 Compra, software instalado como um botão em sites ou apps de empresas – a exemplos de bancos, marketplaces digitais e plataformas de vendas – que disponibiliza aos usuários finais a autocontratação de seguros ou crédito de forma simplificada. Com a startup, eles viram a necessidade de aplicar o princípio da solução para um novo público: os vendedores. 

“Assim nasceu o W2 Venda, que disponibiliza os mesmos produtos, mas com a experiência de usuário focada em vendedores, com simulador, informações sobre a comissão e comunicação. Como a W2 Compra tem um tempo de venda mais no longo prazo, fizemos esse movimento na primeira semana porque precisávamos trazer receita o mais rápido possível e percebemos que há muito mercado para algo como ele”, lembra o CEO da W2.digital, que, além dele e dos sócios, conta com um time de mais cinco pessoas. 

Nesses primeiros meses, a W2.digital contabiliza também novos clientes – hoje são 15 – e a diversificação do portfólio, inclusive em um novo segmento. “Vamos entrar no segmento de tipos de produto, com recarga de celular pré-pago e de bilhete único, que são pequenos, simples, mas atendem um universo populacional enorme”, antecipa Fabiano. No radar, está ainda uma nova funcionalidade de segmentação nas plataformas. “Além de tecnologia e agilidade, uma startup precisa ter capacidade de escala, ou seja, de crescer e, ao mesmo tempo, gastar cada vez menos para conquistar um novo cliente”, destaca. 

Clarissa reconhece que o caminho da disrupção é de muitos desafios e diz que a tradição brasileira de contratar crédito e seguros em balcões é um deles. “A W2.digital e outras das nossas aceleradas plugam esse tipo de venda e pós-venda ao digital. E essa não é uma tarefa simples. Muitas oportunidades estão voltadas para o modelo direto ao consumidor final (B2C). Queremos estar fortes na distribuição digital feita em parceria por empresas da mesma cadeia de valor (B2B2C) quando essa cultura mudar. Até lá, nosso objetivo é impulsionar o setor com tecnologia, inovação e melhores experiências.”  

Para saber mais sobre a W2.digital, acesse: https://w2.digital/

O que é Wiz Labs?

Programa de corporate venture da Wiz com o objetivo de se tornar o principal hub de negócios inovadores na cadeia de seguros. A tese do programa é baseada na incorporação de produtos e tecnologias que possuam sinergia com o ecossistema Wiz.