16 . 01 . 2019

Programa de estágio dado é experiência surpreendente cumprida

Já era final de agosto quando o time de Gente e Gestão recebeu a missão de desenhar um Programa de Estágio em apenas um mês. E se missão dada é missão cumprida, iniciamos um processo intenso para desenharmos nossa estratégia.

Fazer um programa de estágio não é nada simples quando pensamos que são 18 vagas a serem fechadas, várias etapas online e presenciais a serem passadas e um mínimo de 500 inscritos para que tudo isso possa rodar.

Mas a missão não era somente entregar um programa com vários candidatos, era fazer deste momento aquela experiência UAU! A vivência do nosso candidato e do nosso gestor precisaria ser surpreendente.

Então o cenário era esse: prazos arrojados, grande responsabilidade e muita oportunidade para inovar!

Arrancar um ‘UAU’ dos nossos clientes é um baita desafio, mas fomos atrás daquilo que serviria de insumo para construção desse novo programa: feedback dos candidatos dos programas anteriores, conversa com nossos atuais estagiários, bench com outras empresas que estavam realizando programas de estágio e, o que nos fez virar a chave, uma ponte com a frente de Diversidade e Inclusão da nossa empresa.

Um projeto tão robusto como esse, precisaria ser feito a muitas mãos e, por isso, o primeiro marco do programa foi um bate-papo com gestores. Esse foi um momento para ouvirmos expectativas e propormos um diferencial no processo. Era hora de trazer o discurso da diversidade pra prática. E como? A partir do momento que fazemos da pluralidade nossa aliada, podemos fazer da Wiz uma empresa que representa a nossa sociedade. Por isso, o processo inicial de seleção das pessoas que se candidataram foi passado por um crivo, para que informações como gênero, faculdade, idade, local de moradia e raça ficassem ocultos para a seleção dos nossos gestores. O objetivo deste movimento é de avaliarmos nossos futuros profissionais por suas habilidades e perfil comportamental, além de diminuirmos a possibilidade de sermos levados por nossos vieses inconscientes, ou seja, os nossos estereótipos em relação a um determinado grupo.

Ok, a estratégia estava desenhada, mas ainda precisaríamos que todas as pessoas se sentissem bem-vindas a se candidatar em nosso processo, assim, surgiu a pergunta: como atrair essas pessoas diversas para nossa empresa? Iniciamos um processo extensivo de comunicação. Mapeamos grupos minoritários como mulheres na tecnologia, profissionais negros, pessoas com deficiência, além de estender a comunicação para outras faculdades não centralizadas. Nosso objetivo foi mostrar a Wiz como uma empresa que busca pessoas autênticas, que saibam assumir riscos, aceitar mudanças e se expressar no mundo. Mostramos que a diversidade é vista não só como uma questão ética, mas também como fator crucial para o nosso negócio.

Os gestores receberam uma espécie de dossiê com diversos candidatos apenas identificados por suas iniciais e com um panorama sobre competências comportamentais e

conhecimentos técnicos. Acompanhados do time de Recrutamento e Seleção, todas as pessoas foram avaliadas uma a uma com base apenas no perfil apresentado e no match cultural, sem acesso a quaisquer dados que identificassem nossos candidatos e que, de alguma forma, nos levassem a uma escolha tendenciosa.

Os esforços trouxeram para nossas etapas presenciais diversidade de gênero, orientação sexual, raça e de faixa etária. Isso é um indicador muito importante de que podemos cada vez mais atrair pessoas diversas e, de fato, falar sobre representatividade.

E assim fomos caminhando etapa por etapa, desenhando os testes e perguntas para extrair o melhor de um candidato que, muitas vezes, está iniciando sua primeira experiência profissional: suas competências comportamentais.

No nosso ponto de vista, ainda tínhamos mais oportunidades de agregar ao nosso candidato, por isso, a partir da nossa primeira etapa presencial (nossa dinâmica chamada de WizAção), traçamos um planejamento de desenvolvimento para os candidatos, ou seja, queríamos que, mesmo aqueles que não fossem aprovados no processo seletivo, sentissem um valor agregado em toda a experiência.

Por isso, além de receberem um acesso exclusivo de candidato para a Wizity, nossa Universidade Corporativa, com conteúdo pensado especialmente para o Programa, a dinâmica que nossos candidatos realizaram foi a resolução de um desafio através da estrutura ágil Scrum. Pensando em aproximá-los do dia a dia da nossa empresa, eles tiveram uma pequena aula sobre o assunto e colocaram a mão na massa com todo o trabalho em time, gestão do tempo, autenticidade, tomada de riscos e etc.

Até então tudo estava tendo retorno positivo, mas como dar o feedback para nossos candidatos sobre a aprovação? A palavra UAU não podia sair da nossa mente. Por isso, o resultado foi entregue pessoalmente para cada um deles. Cada um recebeu uma caixa personalizada com sua história e aquilo que o torna único, com um vídeo de seus gestores o convidando para viver uma temporada na Wiz.

Esse foi o Seja Você, o Programa de Estágio 2018 da Wiz. Selecionamos 18 novos Wizzers, 50% homens, 50% mulheres (inclusive nas vagas para área de Tecnologia), 6 faculdades diferentes de origem e o mais importante, 18 novas histórias para agregar à nossa. E mais novas chances de fazer da diversidade nosso principal fator de inovação.

Juliana Nunes — Analista de Gente & Gestão