20 . 12 . 2019

O RH DO RESULTADO

Levante a mão quem nunca se referiu aos colaboradores de uma empresa como “recursos humanos”? É comum ouvirmos esse termo, pois tradicionalmente existe, em empresas, uma área que trata dos assuntos referentes a pessoas, e ela é popularmente conhecida como Recursos Humanos. Levando esse nome, “recurso”, ao pé da letra retiramos qualquer caráter de individualidade dos nossos colaboradores e os tratamos como objetos, ou seja, uma vez que perdem seu valor, são descartáveis.

Acreditamos é que nosso bem mais valioso são as PESSOAS! Elas que constroem nossa companhia e garantem a entrega do nosso resultado.

Como Business Partner, ou BP, já ouvi muitas vezes que o meu papel é “cuidar” dos colaboradores e de seu bem-estar. Mas o que seria esse “cuidar”? Esse é o melhor nome para verbalizar o trabalho da área de Gente e Gestão?

Antes de falar o que é o cuidar, precisamos deixar claro o papel de um BP; de forma macro, o BP atua em unidades de negócio com o objetivo de conectar três grandes frentes: as áreas especialista de Gente e Gestão (como Recrutamento e Seleção, Treinamento e Desenvolvimento, Gestão, Avaliação de Desempenho, etc), pessoas (sejam elas líderes ou não) e o negócio, ou seja, os interesses e objetivos da unidade.

Para atuar nessas frentes, um BP ocupa quatro atribuições que são chaves para o seu bom desempenho. Nenhuma das atribuições, é mais ou menos importante que a outra, isso varia conforme a necessidade, momento e estratégia que a unidade vive. São elas:

1 — PARCEIRO ESTRATÉGICO

· Participar da construção do planejamento estratégico e prever os impactos nas pessoas;

· Analisar os indicadores de negócio e do RH e fazer a co-relação com as pessoas, criando estratégias preventivas;

· Entender a arquitetura organizacional e como isso impacta nas pessoas, cultura e negócio;

· Ajudar a identificar os melhores talentos;

· Propor ações de desenvolvimento, retenção e engajamento nas ações corporativas e recuperação de pessoal;

· Ser guardião da cultura conciliando ou intervindo nas decisões dos gestores;

· Orientar a liderança sobre o orçamento de pessoal.

2 — MEDIADOR RELACIONAL

· Conhecer pessoalmente os colaboradores e clientes mediando temas relevantes;

· Acompanhar os gestores e colaboradores na execução dos planos de desenvolvimento e recuperação dos times;

· Consultar, questionar, aconselhar as lideranças relativamente a casos individuais;

· Ouvir com empatia e atenção os diferentes os gestores, clientes e stakeholders;

· Saber detectar e diagnosticar os paradoxos entre os interesses organizacionais, lideranças, pessoas e RH;

· Acompanhar experiência de novos colaboradores nos 90 primeiros e dar suporte para novos gestores;

· Apoio em situações de carreira e remuneração.

3 — GESTOR DE OPERAÇÕES

· Garantir admissão e onboarding de novos colaboradores;

· Levantar necessidades de treinamento;

· Ser guardião das politicas da companhia, para garantir a execução correta dos processos corporativos;

· Criar hierarquia/organogramas;

· Propor e gerir pacote pessoal;

· Desdobramento de metas coletivas da unidade;

· Garantir workflows de pessoas: férias, transferências, ponto, centro de custos e grupos hierárquicos.

4 — SOCORRISTA

· Resolver problemas específicos ao nível das unidades e dos gestores individuais;

· Mediar e acompanhar solução de problemas de trabalhadores individuais junto ao Departamento de Pessoal;

· Mediar conflitos a respeito de ações disciplinares;

· Atuar em retenção de forma reativa;

· Tirar dúvidas sobre políticas e processos da empresa.

Agora, olhando para o que construímos e passamos em 2019 em nossa unidade, podemos responder aquela nossa pergunta do início.

“O papel da área de Gente e Gestão é cuidar de pessoas?”

Reestruturamos uma operação, com mais de 100 pessoas, procurando analisar os impactos em cada um de nossos colaboradores.

Analisamos e desenvolvemos ferramentas que relacionam dados de pessoas e resultados, com isso trazemos insumos para tomadas de decisão, desde recuperação de desempenho colaboradores até reconhecimento e preparação para sucessão.

Propagamos a cultura da companhia e fortalecemos cada dia mais nosso jeitão!

Tratamos cada pessoa de forma individual, não distinguindo liderança ou não. Além da escuta, conseguimos conectar falas, mediar conflitos, e ser capaz de melhorar o clima através de diálogo e transparência.

Estamos próximos de nossos colaboradores desde o seu primeiro dia na Wiz. Seu primeiro contato é conosco, geramos a melhor experiência e os preparamos com todos os requisitos para voarem alto na sua função.

Desenhamos e redesenhamos nosso organograma várias vezes, para ajustarmos negócio e pessoas à estrutura.

Somos uma das primeiras vias que o colaborador procura quando está com algum problema, seja ele de nossa competência ou não. E o que fazemos? Procuramos resolver, ou ajudá-lo a encontrar quem resolva. E acredite, já ouvimos todos os tipos de problemas.

Se pra você isso tudo se chama “cuidar” de pessoas, então a resposta é: “Sim, a área de Gente e Gestão, cuida de pessoas!”. Não tem problemas, eu chamo de DEDICAR-SE às pessoas. Nos dedicamos as pessoas, e muito, porque somos apaixonados por gente. Nós profissionais de RH, acreditamos que a área de Gente e Gestão tem atuação e impacto direto no resultado do negócio.

E você, como tem explorado o que sua área de GG de forma a oferecer às suas pessoas ainda mais, para agregar mais valor ao seu resultado final?

Plínio Magalhães — Business Partner